segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Conversa.

Tenho um bocado de coisas pra dizer antes de ir. É, é pouco tempo eu sei, mas preciso dizer senão nossa história ficará sempre incompleta. E você vai sentir muita falta das coisas que eu não disse, e eu vou sentir muita falta de ter dito essas coisas. Tá, vou falar de uma vez. Acho que você entendeu tudo errado. Na verdade eu nunca quis viver eternamente do seu lado, até porque eternamente ninguém vive... mas o fato é que eu só queria ter você por perto, de vez em quando, pra me fazer cafuné e contar umas piadas, entende? Sempre foi tudo tão simples mas seu jeito complexo maximizava as coisas que eu fazia e que eu dizia tornando tudo uma peça Rodrigueana. Não faz essa cara por favor, tô falando sério. Tenta me ouvir sem armaduras, só uma vez. Daqui a pouco tenho que ir e eu preciso falar. Sabe aquelas vezes que eu dizia sentir saudades? Era saudade mesmo, só. Não era uma cobrança pra você ficar comigo. Eu sei dos seus problemas e nunca quis ser mais um. Também tenho os meus, você sabe. Mas por que tanta frieza com alguém que te quer tão bem? Ok, não vou fazer perguntas senão isso vira discussão e eu não quero discutir, só quero falar umas coisas. Que tudo que quis de você era carinho, e se não desse pra dar carinho era só um pouquinho de atenção, sabe? Pelo menos um pouco da atenção que você dá pra outras pessoas, que nem gostam de você. Eu gosto. Você consegue me entender? Deixa eu terminar, eu preciso dizer muitas coisas. Os seus silêncios me ferem como um punhal, eu preferia mesmo que dissesse na minha cara que tá de saco cheio e que não me quer mais, assim eu sofreria de uma vez só, e não aos pouquinhos com esses seus silêncios que não dizem nada, ou melhor, dizem muito, acho que eu que não quero enxergar. Dói enxergar, por isso seria mais fácil se você me dissesse, compreende? Você tá acompanhando meu raciocínio? Não, eu não tô surtando. Só tô falando o que eu penso. Espera, deixa eu acabar, eu quis tanto conseguir te falar tudo isso. Não foge de novo, me ouve só um pouquinho por favor. Eu sempre senti que havia algo além dos nossos corpos colados, nossas tórridas tardes de amor sempre trouxeram uma coisa meio transcendental. É meio brega eu dizer isso assim, sem o menor clima, mas eu preciso dizer. Dizer que eu te sinto em mim mesmo estando longe. É bom, mas machuca. Dá muita saudade e você sabe como eu sou mimada com essas coisas, carente, você sabe disso. Na verdade tudo isso é só isso, só querer sua companhia, mesmo quando você não tá aqui. Não sei se tô conseguindo explicar, parece confuso mas é simples, eu acho. Tá quase na minha hora de ir, mas eu não consegui dizer tudo, calma, deixa eu terminar por favor. Não me olha assim. Espera, deixa eu falar. Eu só queria que você soubesse... poxa, tenho que ir, um outro dia a gente conversa.

4 comentários:

  1. Fernanda é impressionante, mas parece que vc acompanha a minha vida, esse texto eu poderia até mandar para alguém, poxa que coisa, fala sério risos...

    ResponderExcluir
  2. Ah, qt coisa a gente quer dizer e não tem oportunidade ou não se permite ou tem preguiça. Qt coisa por dizer...

    Adooooro seus textos, querida.

    Beijo grandão bem no coração.

    ResponderExcluir
  3. Eu acho desnecessário tentar verbalizar isso para alguém quem não consegue ler em seus olhos.

    Bjim.

    @ChrisRibeiro

    ResponderExcluir
  4. Só uma coisa dessa vez: CHOREI

    ResponderExcluir