segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Andanças


Tempestades enfrentei sem adoecer
As muitas topadas me fizeram crescer
Chorava nos cantos pra não mostrar fraqueza
Aquela a qual todos comentavam da beleza.
A delicada flor do deserto
Que cresceu sem nenhum amor por perto
E saiu dos templos em busca dos cabarés e das metrópoles
Com um pouco de álcool, bossa nova e rock
Abandonando princípios em troca de emoção
Ofertando a alma por um pedaço de pão
E rabiscando nas estrelas minha doce sina
Que o corpo de mulher e a cara de menina
Haviam pressentido desde o primeiro grito.
Ao Supremo Maior, sem delongas deixei escrito:
'Eu vim pro mundo pra encantar, meu Deus
Mas só sofrimento tive nos dias meus!'
E a Divindade rascunha, embaixo das minhas letras
Naquele céu escuro quase de cor preta:
'Menina, descalça faz teu giro, e reza todo amanhecer
Porque o que não falta na tua vida, é vida acontecer.'


6 comentários:

  1. "Porque o que não falta na tua vida, é vida acontecer."

    D-E-M-A-I-S

    ResponderExcluir
  2. Gostei demais!
    Escreve muito bem. Palavras fortes, emoção à flor da pele.

    ResponderExcluir
  3. COMO SEMPRE:

    FANTÁSTICO, encantador...

    Forte e meiga, como vc sempre foi!

    beijos

    ResponderExcluir
  4. Em primeiro lugar, eu amo rima! A estrutura do seu poema está linda e, mesmo a tendo visto pessoalmente apenas uma vez, a visualizei ao longo de toda a minha leitura.

    Parabéns!

    Beijo grande.

    ResponderExcluir
  5. Amo poesias, essa que você escreveu é de uma sutileza, lindo como tudo que você escreve...

    ResponderExcluir