quarta-feira, 27 de junho de 2012

Um beijo, tristeza!

Pra mim, quem se esconde atrás de amarguras, dizendo "encobrir" felicidade por medo da inveja alheia, não confia no próprio taco. "Nossa, perdi tal oportunidade. Certeza que foi olho gordo." Certeza é, que isso foi permitido. A gente atrai o que emite e eu me sinto protegida demais pra qualquer coisa ruim me atingir.
Acho que falta mais peito pra assumir os verdadeiros desejos. Menos ativismo de sofá. Aquele lance do cuidar-da-própria-vida, sabe? É ótimo pra gastrite... e pra pele.
Se não gosto, não mimo. Se amo, eu AMO. E mostro. Porque ainda tem muita gente bacana no mundo que gosta de ver a felicidade dos outros. E o dia que eu sentir incômodo pela alegria (que seja em excesso) de outra pessoa, esse dia estarei doente. De alma.




6 comentários:

  1. Para tudo que eu tava pensando nisso, e em como não coloco muita coisa em prática. E em todas as críticas que venho recebendo pela minha dedicação às pessoas que gosto.
    E você, sempre escrevendo (na hora certa) o que eu preciso ler. Obrigada Fer!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que agradeço por vc dedicar um tempim pros meus devaneios Pri! <333

      Excluir
  2. Embora eu seja uma pessoa que os amigos chamam de carfree, por ser muito absorvente, acho importante trabalharmos essa coisa de termos o corpo fechado para o que não nos faz bem.

    Ótimo, como sempre...

    Beijão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha carefree é ótimo! Mas é verdade, só atinge o que a gente deixa. Obrigada pelas palavras, linda! :)

      Excluir
  3. Ameiii esse texto eu tenho mania de contar minhas felicidades e gosto de compartilhar minhas alegrias muitas vezes me chamaram a atenção e pediram vai com calma, mas eu sempre penso Deus é muito maio que tudo isso...grande beijo.

    ResponderExcluir