sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Alma gêmea...



















"As pessoas acham que a alma gêmea é o encaixe perfeito. E é isso que todo mundo quer.
Mas a verdadeira alma gêmea é um espelho, a pessoa que mostra tudo que está prendendo você. A pessoa que chama a sua atenção para você mesmo para que você possa mudar a sua vida.
Uma verdadeira alma gêmea é provavelmente a pessoa mais importante que você vai conhecer, porque elas derrubam as suas paredes e te acordam com um tapa.
Mas viver com uma alma gêmea para sempre? Não. Dói demais.
As almas gêmeas só entram na sua vida para revelar a você uma outra camada de você mesmo, e depois vão embora.
Elas têm a missão de acordar você, tirar você de uma situação da qual você precisava sair, destroçar um pouquinho o seu ego, mostrar para você os seus obstáculos e vícios, despedaçar o seu coração para uma nova luz poder entrar, deixar você tão desesperada e fora de controle que você fosse obrigada a transformar sua vida, depois apresentar você à uma nova forma de viver, e sair fora..."

Trecho tirado do livro "Comer, Rezar, Amar" de Elizabeth Gilbert.

Desde que li isso pela primeira vez, sabia que não poderia guardar só para mim. Quem já passou por essa divina experiência sabe o quanto esse texto é lindo, forte e assustadoramente verdadeiro.
E se você ainda não teve a oportunidade de viver algo tão intenso, aguarde. A sua hora vai chegar. E quando chegar não hesite, vá em frente! Viva! São momentos como esses que nos mostram o quanto nosso exercício de vida vale a pena.

Fui criada dentro de uma religião e de acordo com pricípios que nunca me permitiram crer em tais vivências. Mas diante do óbvio é impossível negar. Nós sabemos, nós sentimos quando é diferente, especial. E em face de um encontro de almas, não há o que se fazer senão acreditar, viver, rir, chorar e deixar que o arrepio lhe suba por todo o corpo.

Primeiro vem o pavor, o medo de que aquilo seja irreal, de que estejamos enlouquecendo. Depois aceitamos, curtimos, vivemos... sim, vivemos tão intensamente que o fim quase iminente parece que nunca vai chegar. Porém ele chega. E é destruidor. A separação de almas é infinitas vezes mais penosa do que qualquer outra dor. Mas faz bem. E passa...

Esquecer? Impossível. Ainda ama? Então ame! Sente saudades? Então sinta saudades. E mande sempre um pouco de luz ao se lembrar.

Se aconteceu, não foi por acaso. Lembrem-se: "Aquilo que não me mata, me fortalece."

Fiquem com Deus!




4 comentários:

  1. nossa florrzinhaaa adoreiiii seu blog *-*

    sou a Marcela que estou add no seu okt e nu seu twitter =)

    Beeijunhusssss =)

    ResponderExcluir
  2. Flor. Profundo mesmo! Talvez não tenha vivido tão intensamente, mas já passei por um momento onde o vento veio tão forte, fez uma bagunça, uma reviravolta em minha vida, e me transformou em uma outra Cris, ou até mesmo na verdadeira Cris. (Será esse vento minha alma gêmea?)
    Parabéns, pelo blog!

    ResponderExcluir
  3. Filha, vc é tudo que um pai sonha, e que eu tenho o previlégio de te-la na realidade.ta muito lindo (principalmente de conteúdo), o seu blog!parabéns! te amooooooooo!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Olha só, a outra meia Fer aqui. Legal, gostei!

    É bem curioso isso, durante muito tempo (como se fosse tanto tempo) eu acredite em almas gêmeas mas daquelas q se completam e nunca se separaram mas depois percebi que as coisas não são assim, e o trecho do livro fez muito sentido. Tudo acontece por algum motivo específico e esses tempos me aconteceu algo similar e reluto em aceitar que termine da forma como terminou, sem ao menos começar, foi estranho e apesar dos pesares foi bom.

    E isso me faz pensar que estas almas não são únicas mas também não são infinitas, há um determinado número de almas que "combinaram" conosco.


    Beijão, Fer. Gostei do seu blog!

    ResponderExcluir