domingo, 29 de agosto de 2010

Saudades...















Saudade do que se foi... Saudade do que está por vir...
Saudades das brincadeiras de infância, do cheiro do bolo de fubá no forno.
Saudade das amizades eternas de uma semana. Dos amores platônicos.
Saudade das broncas da mãe, das brigas com o irmão.
Saudade das equações de segundo grau das intermináveis aulas de matemática. Da fila para comprar bala no recreio...
Saudade das tardes regadas à brigadeiro e rock 'n roll.

















Saudade dos porres seguidos por: "nunca mais eu bebo!"
Saudade de passar a noite inteira dançando como se nada mais no mundo importasse. E naquele momento realmente não importava.
Saudade das minhas certezas aos dezesseis anos. E das incertezas aos dezessete.
Saudade dos papéis de carta, do caderno de versos, das letras de música...
Saudade dos textos, das crônicas, dos poemas escritos.
Saudade dos sonhos tão complexos, porém infinitamente tão simples...















Saudade das malícias inocentes, dos dramas quase que teatrais.
Saudades de pessoas, de sons, de toques...
Saudades de abraços, de cheiros, de vozes...
Saudade da alegria do sim, da dor do não, da angústia do talvez.
Saudade do que não existiu. Saudade do já vivido.
E depois de sentir tanta saudade, fica a saudade de não tê-la sentido...

Kisses...

Um comentário:

  1. Vejo uma mistura de Fernanda com Cristianne nesse texto. Será pq tivemos a infância na mesma época ou pq nos identificamos mto?? Até a parte do rock 'n roll e brigadeiro!! Rsrs. Mais saudades do que já vivemos, é a saudade do que ainda não veio! Bjuxx adorei!!!

    ResponderExcluir