sexta-feira, 19 de novembro de 2010

bipolaridade desejada

"Menina mulher, mulher menina... mulher na aparência, menina nos olhos... mulher na determinação, menina na fragilidade... mulher na paixão, menina no romantismo... mulher na força, menina na emoção... mulher na inteligência, na razão, menina na inocência, no coração..."


É incrível como nossa vida é sensível a mudanças. Basta um olhar, uma atitude, uma palavra (ou a falta dela), e de repente tudo muda. Como é fácil ir do céu ao inferno em questão de segundos.
Não posso dizer que me sinto confusa. Não... tenho absoluta certeza do que eu quero. Todos os meus sonhos, objetivos, vontades, desejos... todos, são absolutamente verdadeiros e urgentes (pelo menos por enquanto).
É estranho, mas creio ter dois lados bem opostos me guiando: a sensatez e a impulsividade.
Ora penso demais. Ora ajo sem pensar. Seriedade e perfeccionismo no trabalho. Colo e conselhos de mãe aos amigos. Inconsequente e intensa no amor.
Quantas eu sou? Quantas posso ser? Uma diferente a cada situação. Uma diferente a cada dia.
Posso não derramar uma lágrima em um filme romântico. Posso morrer em prantos com uma simples música...
Vestido curto e salto alto pra sexta. Jeans e bata indiana para o sábado. Camisolinha de bichinho pro domingo.
Quero a independência de poder ir onde quiser. E quero que ele tente me impedir por ciúmes de vez em quando.
Uma mulher diferente a cada dia. Quebra de rotina, pimenta da relação. Tempero da vida. Posso dizer que tenho a bipolaridade desejada.
Às vezes insuportavelmente chata. Forte, frágil, corajosa, insegura, determinada, injusta, prepotente, doce...
Meus defeitos me fazem única! Minhas qualidades delineiam meu caráter.
Palavra de ordem: querer. Eu quero mais que ontem. E quero menos que amanhã.
Gostou? Posso mudar se me for conveniente. "Posso ser o que você quiser. Mas só quando eu quiser."

"Sou sempre eu mesma. Mas com certeza, não serei a mesma pra sempre." - Clarice Lispector

Kisses

6 comentários:

  1. Nossaaa FER parabéns lindissimo.. :)

    ResponderExcluir
  2. Ameiiii! eu prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo, sobre o que é o amor, sobre o que eu nem sei quem sou, se hoje eu te odeio, amanhã lhe tem amor, se hoje eu sou estrela amanhã já se apagou, me tem amor, me faça amor eu sou um atorrr....
    E se quisermos podemos ser feras e ao mesmo tempo mansa, também sou extemamente impulsiva, mas tenho meus momentos de sensatez, bjocas e um ótimo final de semana...

    ResponderExcluir
  3. Descreveu detalhadamente a frase dos homens "As mulheres são complicadas".
    É simples, devem apenas nos sentir sem tentar nos entender.

    ResponderExcluir
  4. É justamente esta incostância que deixa vocês mulheres fascinantes, porque o que é óbvio não nos atrai.

    Todo o texto está pefeito, trenzim!

    Ps.: Li todos os seus textos, e este está entre os melhores.

    Parabéns!

    Bjim.

    @ChrisRibeiro

    ResponderExcluir
  5. Liberdade, ahh liberdade de sermos o que quisermos. É tão bom que a gente não enjoa de nós mesmas... Sou bipolar, amo ter essa diversidade. Me faz sentir livre... e "Liberdade é pouco, o que eu quero ainda não tem nome"... Lindo, como sempre, seus textos... beijos

    ResponderExcluir
  6. Me identifiquei lindo!
    Conseguiu expressar muito bem muito do que eu (e creio que muitas outras) também sinto e penso sobre mim mesma quase que diariamente
    Adoro ser "uma mulher diferente a cada dia"!
    Parabéns pelo texto, Fer!
    E um brinde a todas as mulheres "bipolares"! ;)

    ResponderExcluir