sábado, 27 de novembro de 2010

Maturidade...

E do alto dos meus 24 anos de repente descubro: Não, não sou tão madura quanto pensei.
Acho que admitir isso é um sinal de maturidade, e é incrível me descubrir amadurecendo mais a cada dia.
O bacana é perceber que nem sempre amadurecer é "encaretar". Pelo contrário, hoje já não me importo com certas convenções que antes me eram tão necessárias.
Passei a crer mais em mim mesma e dar menos relevância à opiniões alheias.
Com o passar do tempo nós entendemos tanta coisa...
Entendemos que Caetano Veloso não é tão chato como achávamos na adolescência, e que salada no almoço é realmente o único caminho para um corpitcho alinhado.
Enxergamos que aquela pessoa que nos trata bem, nem sempre é quem nos quer bem de verdade.
Finalmente concordamos com nossas mães no quesito que "homem nenhum presta", mas continuamos insistindo, afinal somos brasileiros e não desistimos nunca!
Experimentamos o prazer e o desafio que é trabalhar naquilo que escolhemos.
Tomamos decisões importantes, como tomar ou não um porre na sexta-feira a noite. Saimos pra tomar café (Meo deos, café! Eu odiava isso há alguns anos atrás!).
Conseguimos assimilar que a vida não termina depois da faculdade. Que estudar nunca é demais e que jamais saberemos tudo sobre qualquer assunto.
Aprendemos a selecionar pensamentos, tentamos controlar sentimentos, e constatamos que, definitivamente, no coração não se manda.
Você já não precisa receber dúzias de ligações pra saber que a pessoa se importa. Ela existe, está lá, e isso basta. Passa a dar mais valor em uma bela noite de carinho. Os presentes não precisam ser caros, precisam ser sinceros...
Acredito que acima de tudo, a maturidade traz coragem. Coragem para enfrentar o que for preciso. Coragem para viver tudo que se deseja.
Poucos são os que amadurecem conscientemente. Quando damos conta nossas opiniões e desejos já não são mais os mesmos... e isso é bom demais! Mudança constanste, o mundo não pára mesmo. "Metamorfose ambulante" ever! E se hoje eu tenho audácia suficiente pra me permitir mudar de opinião, sentir, querer e viver o que quer que seja, sem dúvida isso está vindo com ela, que continuará me transformando sempre... a Maturidade!

Bacio!

6 comentários:

  1. adorei seu texto , pena que ainda tenho o meu pensamento em adolescente ! um dia chego , rs

    ResponderExcluir
  2. Acredito que a maturidade nem sempre está relacionada à quantidade de primaveras que temos.
    Varia de pessoa a pessoa, e o ambiente em
    que esta, está submetida.

    Me identifiquei bastante com o teu texto, trenzim. Com o tempo ficamos mais seletivos, mais seguros e objetivos.

    Texto perfeito!

    Bjim.

    ResponderExcluir
  3. Invadindo por indicação do Chris.
    Não importa se você tem 20 ou 30 anos, importa o que você passou pela vida.
    Eu não suportava Caetano e Chico Buarque, e Djavan, hoje eu amo.
    Parabéns pelo post!

    ResponderExcluir
  4. A maturidade, vem com a vida, nas experiências que temos, naquilo que vivemos, as vezes podemos chegar aos 20 anos madura, por já ter vivido muitas das vezes mais que uma pessoa de 30.
    Por isso eu sempre digo temos que nos permitir sim a viver, é claro que a vida é um aprendizado constante e as vezes vamos nos deparar com situações do tipo: nossa como fui imatura e se reconhecemos isso já é sinal que aprendemos e amadurecemos...

    ResponderExcluir
  5. Sim, FER!Concordo com o que disse. Maturidade é conquistada com o tempo. (Eu tbm não imagina um dia gostar de café) Mas isso é tão bom! Apesar de sermos uma menininha, também temos o poder de sentir mulher, de tomar café, de tomar decisões, de ter própria opinião e tudo isso em cima de um salto, tomando um café. Beijosss

    ResponderExcluir
  6. Eu não gosto muito de café ainda, isso me faz imatura, mas eu gostava de caetano na adolescencia isso me faz madura desde a adolescencia rsr`s

    Beijo Linda

    ResponderExcluir