sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Fada das letras

Foi num dia escuro que ela me visitou pela primeira vez. Há muitos anos. Nós tivemos uma relação bem chegada durante um tempo, mas um choque nos afastou. E permanecemos assim.
Eu cresci, virei mulher adulta e excessivamente racional. Quando numa encruzilhada de tormentos, ela voltou. E me trouxe esperança.
Eu me sinto protegida quando ela vem. Sabe a sensação de que você pode tudo? Com ela aqui eu posso tudo. Até inventar que dores minhas não são minhas. Até criar finais felizes...
Ela? A Fada das Letras. Ela me pega pelas mãos e dá vida independente às pontas dos meus dedos. Com ela presente eu não fico sozinha. Mesmo de madrugada, que aliás, é seu momento preferido.
Ela me ajuda a não explodir. Ela me ajuda a explodir o mundo. E com ela eu tenho coragem de dizer tudo. Inclusive o que não existiu. Só ela é capaz de tirar de mim segredos obscuros e os desejos mais secretos. Ela me incentiva a pôr pra fora a dor do peito. Pra cicatrizar mais rápido. Com ela consigo até ser engraçadinha de vez em quando, afinal a vida também precisa de um pouco de risada, né?
A Fada das Letras às vezes some. Mas a nossa relação é tão segura que eu não me desespero. Sei que ela volta. E volta arrebatadora me destruindo por dentro. Fazendo libertar o que sem ela seria impossível... e me faz chorar. Muito. Como agora, por exemplo. Ela sabe que me faz sofrer por escrever certas coisas, mas ela faz mesmo assim. Deve ser pro meu bem, eu acho. Tipo mãe, sabe?
Inventamos amores e dores. Ela entende que minha vida é bem menos interessante que a dos meus personagens, e que eu não gosto de histórias sem finais felizes. Então eu invento. Invento que eu sinto, que eu sofro, que eu choro, que eu amo... E depois invento que eu inventei tudo isso. Só pra parecer forte.
E quando ela vai, levando consigo uma tonelada de não-sei-o-quê, me sinto mais leve. Não menos triste, nem mais feliz. Mas, serena, aliviada. Com menos vontade puxar o gatilho e mais vontade de viver pra mim. E pra ela também, que na verdade deve fazer parte de mim. A parte mais insana e mais provocante. A Fada das Letras.

3 comentários:

  1. Que lindo Fe !!!
    Eu conheci essa Fada há bem pouco tempo, mas depois que ela aparece a gente fica incapaz de viver sem, né?
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Que lindo Fer, eu tb tenho alguém assim na minha vida, mas eu chamo de migo imaginário, ele me faz sair do mundo real e criar sempre história com finais felizes, lindo texto como sempre...

    ResponderExcluir
  3. Lindo Fer... vc é minha FADA predileta!!! Minha fonte de inspiração muitas vezes, viu? Beijos!!!!

    ResponderExcluir