domingo, 30 de janeiro de 2011

Quando não há mais tempo...

Eles se conheceram nos festejos da cidade. E se apaixonaram instantaneamente. Ele estava de passagem, era uma viagem a trabalho. Ela era recém chegada na universidade local. Foram pouquíssimos dias e uma explosão de sentimentos que perturbou-lhes a mente. De repente não conseguiam mais ficar separados. Porém, não poderiam ficar juntos.
Ele tinha uma família, esposa, e dois filhos pequenos. Era executivo de uma importante multinacional. Ela havia deixado a casa dos pais para estudar na Capital. Estava no primeiro ano de psicologia, tinha muitos sonhos e uma vontade imensa de vencer na vida.
Além da enorme distância, as vidas diferentes também era uma adversidade. Mas precisavam estar juntos. E ficaram. E o romance se manteve por anos...
Muitas mensagens, emails, conversas na madrugada. Viagens rápidas pra sanar um pouco da saudade. Planos, muitos planos.
Ela se formou. Pretendia abrir um consultório na cidade de seus pais. Ele já era diretor da empresa. Quanto mais passava o tempo, mais aumentava a vontade de ficarem juntos. E mais suas vidas se distanciavam.
Até que ela, num rompante de loucura foi encontrá-lo. Esperou o dia todo em frente a empresa para fazer uma surpresa. Sim, ela estava disposta a deixar tudo, abrir mão de todos os planos para viverem juntos. A inquietude não a deixava parar de sorrir. Até que ela o avista... estava com sua mulher e um de seus filhos. Eles riam muito, estavam aparentemente felizes. Então ela voltou sem dizer uma só palavra, sem ao menos deixar que ele a visse.
No caminho de volta para casa, escreveu-lhe uma mensagem. Seria a última. Sentia uma dor infinita e seu desespero não parava de minar lágrimas. Mas não queria destruir uma família nem tirá-lo de um lugar onde parecia estar bem. Precisava seguir sua vida e trilhar seu próprio caminho. Foi difícil, mas conseguiu teclar o "enter".
Ele, ao ler a mensagem percebeu: não poderia viver sem aquela mulher. Ligou várias vezes, enviou muitos emails, em vão. Até que, em seu maior ato de coragem, tomou a decisão: pediu o divórcio, colocou algumas peças de roupa na mala. Ligou para a secretária e avisou que iria viajar sem previsão de volta. Passou na primeira joalheria e comprou o anel mais bonito. Programou o GPS para o novo endereço de sua amada (ainda não haviam se encontrado depois do término da faculdade). E partiu.
No caminho lágrimas, e ansiedade. A expectativa de uma nova vida, a saudade, a vontade de dormir e acordar todos os dias ao lado dela. Finalmente, depois de tanto tempo perdido iriam ficar juntos, pra valer. Sem mentiras, nem esconderijos.
Mas chovia muito na estrada. E junto com a pouca visibilidade veio também um caminhão na contramão... Não havia mais tempo...
Em algumas horas ela recebeu a dilacerante notícia, juntamente com o anel e um cartão que dizia: "O que eu sinto por você, assim como esse diamante, é eterno. Perdemos muito tempo meu amor, agora vamos ficar juntos pra sempre."
Infelizmente, não havia mais tempo...

É, apesar de sermos 'tão jovens e termos todo o tempo do mundo, não temos tempo a perder'. Diga hoje, faça hoje. Amanhã pode não existir mais tempo...


5 comentários:

  1. Nossaaaa Fer me emocionei lendo esse texto, nunca podemos deixar para amanhã o que sentimos o que queremos, porque entre razões e emoções a saída é fazer valer a pena...

    ResponderExcluir
  2. Emocionada até a raiz dos cabelos...Não dá mesmo pra deixar pra amanhã, mesmo que as consequências não sejam assim tão sérias.
    beijo menina das letras...

    ResponderExcluir
  3. Noooooooooossa!!! Depois desse texto, eu não me arrependo mesmo de todos os emails que já mandei por aí, sabe?! rs Então.....

    Adooooooro

    ResponderExcluir
  4. Ar-re-pi-an-te!

    Lindo!

    Sou uma assídua leitora dos seus textos e os adooooro.

    Beijo no coração.

    ResponderExcluir