quarta-feira, 15 de setembro de 2010

O Amor...

Não, não estou aqui para falar de amor como um sentimento maior que vai unir o mundo em um só coração.

Tampouco para falar de amores cotidianos: amor de mãe, amor de irmão, amor de amigos, amor pelo trabalho, pelas artes, amor pela natureza...

Sim, serei abusada e falarei de amor "Homem e Mulher", ou "Homem e Homem" ou "Mulher e Mulher", sou uma pessoa livre de certos preconceitos, contando que haja verdade.

Definição segundo o dicionário para a palavra Amor: "Afeição viva por alguém ou por alguma coisa / Sentimento apaixonado por pessoa do outro sexo / Inclinação ditada pelas leis da natureza: amor materno, filial. / Paixão, gosto vivo por alguma coisa: amor das artes / Zelo, dedicação: trabalhar com amor. / Amor platônico, amor isento de desejo sexual." (Dicionário do Auréilio Online). Frio, né?

Que tal então a definição de amor segundo a Bíbilia: "O amor é longânime e benigno. O amor não é ciumento, não se gaba, não se enfuna, não se comporta indecentemente, não procura os seus próprios interesses, não fica encolerizado. Não leva em conta o dano. Não se alegra com a injustiça, mas alegra-se com a verdade. Suporta todas as coisas, acredita todas as coisas, espera todas as coisas, persevera em todas as coisas. O amor nunca falha." (1 Coríntios, 13:4-8). Ah, que linda essa descrição do amor! Mas um pouco utópica, na minha humilde opinião.

Bom mas, e na visão de um poeta, o que seria o amor? "Amor é fogo que arde sem se ver; É ferida que dói e não se sente; É um contentamento descontente; É dor que desatina sem doer..." (Luís de Camões). Humm... acho que prefiro esta, um jeito mais humano de sentir.

Existiria tempo certo? Ou será que o amor é para sempre? Haverá momento certo? Pessoa certa? Impossível afirmar qualquer coisa que envolva esse sentimento enigmático e único.


Acredito no amor como forma de entrega, de doação... Acredito no amor como faísca, calor, arrepio...

E junto com o  amor vem a tal paixão que teima em trazer consigo a respiração rápida, o coração acelerado, o frio na barriga, as mãos geladas... De carona vem o egoísmo. O egoísmo de querer sempre, de querer mais... e só pra si!

Como acompanhamento desse generoso prato principal que é o amor, vem o desejo. Desejo de atenção, de carinho, de contato. E a insanidade quase sempre vem como entrada nesse banquete. Não existe mais nada. Não importa mais nada. Só aquele momento, só aquela pessoa, só o ruído daquela respiração, só o gosto daquela pele...


Em quanto tempo? Bom, você pode levar anos para amar uma pessoa, ou dias, ou até mesmo, minutos...

Mas é bom, ah, como é bom amar alguém! A vida pára. O mundo pára. Os pensamentos são só de uma pessoa. Desejamos desesperadamente a presença, a voz... E sofremos, e choramos... Magoamos e pedimos perdão. Somos magoados e perdoamos.

Bem vindo à vida! A experiência de amar é divina demais, surreal de mais, e ultrapassa qualquer entendimento.

"Run away with my heart. Run away with my hope. Run away with my love..."
 
Besos...

3 comentários:

  1. "A vida pára. O mundo pára. Os pensamentos são só de uma pessoa..."

    Exatamente.
    E muito gente confunde, acha que isso é paixão.
    Até é, mas tem tempo pra acabar e terminar.

    O amor perdura e sobrevive ao tempo, ao desgaste, as aflições, as brigas, aos medos, inseguranças...
    paixão não tem tempo pra aprender a respeitar o tempo do outro.
    O amor espera a eternidade se for preciso.

    É amiga, eu amo sim...rs

    ResponderExcluir
  2. Sou um pouco suspeito pra falar de amor, então vou citar aqui um pedacim de uma crônica do Jabor.

    "Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta.

    O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar.

    Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais.

    Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca.

    Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.

    Você ama aquela petulante. Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, você deu flores que ela deixou a seco.

    Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abomina Natal e ela detesta o Ano Novo, nem no ódio vocês combinam. Então?

    Então, que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você..."

    Malucão ele, né?! Uma referência no jornalismo.
    Bom, o Amor não tem uma definição exata, é como um perfume que muda sua fragância de pele a pele.
    Não tem um tempo determinado de duração, não acerdito em "amor eterno", mas o fato de não durar pra sempre não significa que não tenha sido verdadeiro.
    Bom, o amor é um trem doido!rsrs

    Ps.: Amei o post!

    @ChrisRibeiro

    ResponderExcluir
  3. Perfeitooo Ferr!!!
    "Amar cria raiz, sim. Cria, independentemente de ser verbalizado. Basta sentir o amor para que fiquemos dependentes dele, uma dependência boa, daquilo que nos faz sentir vivos."
    (Martha Medeiros)

    ResponderExcluir