sábado, 5 de março de 2011

O sabor da saudade.

Qual o sabor da saudade? Amargo, quando vem com a certeza de que não irá mais voltar. Azedo quando acompanha mágoas. Salgado, de secar a boca, quando se tem desejo. Doce, quando há boas lembranças e se sabe que a distância será breve.
E como é bom matar a saudade! Reparar cada detalhe novamente. Tatear todas as partes esquecidas. Saborear cada pedacinho com vontade, com pressa, querer que aquele momento se perpetue pra sempre. Olhar fixamente nos olhos e entender porque a distância causa tanta dor. Sentir o cheiro e respirar fundo, abraçar apertado, como se os braços fossem capazes de nunca mais permitir a partida. Sorrir e sorrir muito, transformando aquele instante no mais feliz do mundo. As energias se renovam. As forças se multiplicam. Matar a saudade é a cura pra muitos males. O coração acelera, as lágrimas caem. A voz causa arrepios. E a certeza de que essa saudade, tão doída, tão sofrida, contribuiu pra espandir ainda mais um sentimento. Não há quem admita que sentir saudades é bom. Mas a sensação de êxtase causada no momento do reencontro é incomparável. Maximiza a vontade, nos faz mais tolerantes. Não há tempo a perder com bobagens. Só o desejo de sentir de novo. O sabor da saudade não importa. O relevante mesmo, é o gosto do reencontro. E esse, é aquele que sempre deixa no final o sabor de "quero mais".

6 comentários:

  1. Nossaaaa Fer vivi todas essas fases da saudade, a expectativa do reencontro, quando reencontrei queria que o mundo parasse, mas logo depois acabou e agora ela passa por 3 fases juntas: de lembrar dos momentos bons, das mágoas e do amargo de saber que não irá voltar mais...

    ResponderExcluir
  2. Muito bem descritos os sabores das saudades!

    Não consigo chegar a uma conclusão que me permita dizer se a saudade é boa ou ruim, mas o lado bom da saudade está no fato de que quando a sinto, parece que tudo o que é positivo, em relação ao objeto da minha saudade, fica ainda mais ressaltado.

    O melhor do reencontro é, com certeza, "tatear todas as partes esquecidas", ah, como é bom!

    ResponderExcluir
  3. Acho que poder tatear tudo que causou saudade é a melhor parte.
    Ser humano tem necessidade de sentir fisicamente a presença do outro.

    Há alguns meses, pude rever e dar um abração em um amigo que não vi há 6 anos.
    Foi demais! Sentimento que todo ser humano deveria passar: o carinho pelas coisas simples.

    ResponderExcluir
  4. Concordo com vc e com a Lu. O toque que fazemos quando vamos matar a saudade é muito bom. Mas o que me preocupa é ter a saudade amarga, aquela que não vamos ver mais... E que venham as doces saudades... =)

    ResponderExcluir
  5. É sempre bom ler seus textos. Sempre que posso venho no seu blog, procurar um refúgio nas suas palavras.
    Parabéns!!

    http://feedbackpositivoagora.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Incrivel! A descricao exata e delicada da saudade! Texto maravilhoso!

    ResponderExcluir