quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Aleluia irmão!

Um fato estranho que aconteceu comigo hoje a tarde me inspirou a fazer esse post.
De repente, uma pessoa com quem convivi algum tempo aparece um tanto transtornada e absolutamente fanática por sua nova vida. Sua nova religião. Chegou praticamente aos berros, gritando a "palavra do Senhor" e deve ter "evangelizado" (sim, porque aquilo não foi uma conversa) por cerca de duas horas seguidas.
Não aguentava mais aquele papo. Estava cansativo. E não se podia argumentar em nada. A "palavra" dela sempre tinha razão. E ponto.
Perei pra pensar no que tem se transformado as religiões hoje em dia. Não quero entrar em polêmicas nem desrespeitar nenhuma crença, mas será que as pessoas não percebem que através de pregações intermináveis não é possível converter ninguém?
Eu não confio em grupos que se acham donos da verdade e só aceitam seu Deus como verdadeiro. Deus é um só, e está presente em todos os lugares em que verdadeiramente O aceitam.
Quantos líderes religiosos vemos envolvidos em escândalos, pedofilia, corrupção... E não nos damos conta que o vizinho, trabalhador que nunca foi à igreja tem uma índole inquestionável e o coração livre de certos preconceitos.
Gritar no ouvido do cidadão, ameaçando que ele vai arder no mármore do inferno caso não aja como o "grupo", é extremamente repugnante. Se envolver quantias exatas de dinheiro, pior ainda. Ok, ajudar a comunidade a qual pertence, acho louvável. Mas tenhamos bom senso, please.
Pra mim, a melhor maneira de tocar o coração de alguém é através das atitudes. O bom exemplo ainda é o melhor modo de inspirar as pessoas. Portanto senhores evangelizadores, falem menos e ajam mais. E atitudes de acordo com as que prega, porque a máxima "faça o que eu digo mas não faça o que eu faço" não cola muito em quem se diz de Deus, né? E muito pior que andar "no caminho do mundo", é fazer isso durante o dia, e depois bancar o puritano na igreja, durante a noite.
E ponto final.

5 comentários:

  1. Concordo com tudo que você escreveu. E olha que sou suspeitíssima pra falar desse assunto. Eu cresci por livre e espontanea vontade na igreja católica e me deparei com tudo que você escreveu. Já estudei muito sobre o assunto e já até dei aulas. Mas o que você disse sobre quem nunca frequentou a igreja e tem uma índole inquestionável é a mais pura verdade. As pessoas que frequenta templos acham que já estão salvas e por isso muitas vezes são as que mais comentem pecados. Sempre vivi a doutrina de Deus e não a dos homens. Apesar de eu ter comentado bastante, você disse TUDO!! Amei esse texto!!!

    ResponderExcluir
  2. Texto louvável. Sensatez é coisa rara hj em dia qnd o assunto é religião. Concordo que não somos o que FALAMOS, somos o que FAZEMOS. Não é coerente impor uma verdade, o correto e educado é propor. Afinal de contas, sempre vão existir três verdades: A minha, a sua e verdade absoluta. E a absoluta poderá ser a minha, a sua, ou nenhuma delas. Deus é inteligente, amoroso e educado o suficiente para nos conduzir a Ele de maneira sublime. E não carece de representantes hipócritas. God Bless

    ResponderExcluir
  3. Eu passei por uma situação igualzinha, uma amiga minha de adolecência que fez o ginásio comigo me reencontrou no ônibus, ela virou evangélica e ficou pregando até eu descer do ônibus tentanto me convencer a me converter também...
    E vc disse tudo Deus é um só, Deus é amor e está nas coisas boas que vc cultiva e vive, bjocas...

    ResponderExcluir
  4. Nossa, parece q fui eu q escrevi isso de tão parecidas nossas opiniões....
    Concordo em tudo, principalmente naquele q nunca foi à Igreja mas dá exemplos de caridade. Não adianta beijar batina, Louvar ao Senhor, ir no Centro Espírita 3 vezes por semana e ser um crápula fora de seus cultos.
    Que todos respeitemos a religião alheia. Mas hipocrisia é uó.
    Bjinhos

    ResponderExcluir
  5. Como você mesmo disse, acho mais fácil encontrar Deus na casa do vizinho do que lá no meio dos que dizem "irmãos".

    Não sei quanto aos outros, mas li seu texto e foi como se EU tivesse desabafado.
    E, sinceramente, acho que representa o que muuuita gente sempre quis falar/escrever e, por algum motivo, nunca teve coragem. Obrigado!

    Parabéns pelo post e pelo blog!
    E que venha o próximo Encontro!

    Beijoca! ;*

    ResponderExcluir