quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

No mesmo ritmo.

Era uma vez uma princesa... Uma princesa que estava entediada com sua vida no castelo e um belo dia decidiu sair...
A princesa saiu sem falar nada pra ninguém, não havia nada demais afinal, era só um passeio. Porém ela andou muito, e acabou saindo dos limites de seu reino. Fora dali, de seu eixo, ela já não sabia mais o que poderia encontrar. Mas gostou da sensação de medo e excitação que estava sentindo.
De repente começou a chover. Muito. E escureceu. A princesa já não podia enxergar muito bem e não conseguia encontrar o caminho de volta. Numa tentativa de se desvencilhar de galhos e folhas se feriu, um enorme espinho a fizera sangrar. Desesperou-se. Sentou num tronco velho de árvore e pôs-se a chorar. Estava perdida, machucada e com frio...
Então começou a ouvir passos, não muito claros pois o barulho da tempestade não permitia, mas podia escutar alguém aproximando-se. Seu coração quase saltou pela boca. Quem poderia ser?
Era ele. Um príncipe. Estava a pé. Seu cavalo assustou-se com o barulho dos trovões. Ele também estava assustado e perdido. Mas claro, como um verdadeiro nobre, demonstrou coragem e doçura à princesa.
A chuva passou. O machucado da princesa já não sangrava mais. Eles deram as mãos e deciram encontrar o caminho de volta, juntos.
E como essa volta pra casa estava sendo boa. Não se desgrudavam um só minuto. Descobriram coisas em comum. Riam juntos. Era um bem estar que nenhum dos dois jamais havia sentido antes.
No entanto a princesa, ansiosa que só ela, queria chegar mais rápido e, sem perceber, soltou da mão de seu querido e passou a caminhar à sua frente, por vezes até corria. Foi quando olhou pra trás e percebeu que já estavam distantes demais um do outro.
Ela gritava pra que ele corresse. Ele só queria continuar caminhando. Então ela parou. Ficou parada por minutos pensando se valeria a pena diminuir o passo. E decidiu diminuir. Mas a distância entre eles ainda era grande demais. Foi quando ela resolveu voltar... e voltou até o ponto que o príncipe estava. Não falaram nada. Apenas olharam-se nos olhos e deram-se novamente as mãos. Dessa vez ele agarrou com mais força, não queria deixá-la escapar novamente. E seguiram juntos. Sabiam que lá na frente cada um seguiria seu caminho, cada um voltaria a seu reino. Mas optaram por curtir o passeio. Ora correndo, ora andando, mas sempre juntos, de mãos dadas. No mesmo ritmo.

Kisses...

4 comentários:

  1. Vamos viver a vida intensamente.
    Pra que a pressa, se o futuro é a morte?! rsrs

    Bjim.

    @ChrisRibeiro

    ResponderExcluir
  2. Viajeiiiii nesse texto Ferrrr, que delícia ler coisas assim onde vc fica imaginando a história e como disse o Chris acima, pra que a pressa, vamos viverrrrr, bjocas lindona...

    ResponderExcluir
  3. Fer

    Gostei muito do texto.Delicado,feminino,acolhedor.

    Beijos

    Ju Sfair

    ResponderExcluir
  4. Lindo texto ! Se vou te levar para o meu reino, se você vai me levar para o seu, ou se cada um vai seguir o seu caminho, isso não importa. O importante é que HOJE estamos andando juntos !

    ResponderExcluir