terça-feira, 19 de outubro de 2010

Ajustando o foco...

Sempre tive um pouco de medo de escrever em caráter pessoal. Mas se a própria Diva Lispector desenhava seus textos em primeira pessoa, por que eu, pobre mortal, também não posso fazer?
Brincar de despir a alma através da ortografia...

Ser o mundo de alguém, tornar alguém o meu mundo... Sempre foi assim. Porém, de repente, hoje tive um insigth: "por que EU não posso ser o meu mundo? Por que tornar alguém dependente da minha presença? Por que me tornar dependente da atenção de outra pessoa?"

Não, definitivamente a felicidade não pode estar no outro. Ela está dentro de mim, precisa estar. Eu tenho que me bastar para viver. É completamente insano esperar por um "bom dia" pra ser feliz.

Num imenso oceano, em meio a uma turbulenta tempestade, eu estava lá, perdida, assustada. Eis que surge um salva-vidas, um lindo e charmoso salva-vidas. Claro que eu agarrei com todas as forças no meu herói. Eu me segurava em seus braços como se fossem a última chance de um sopro de vida...
Mas eu sabia nadar... Eu poderia apenas me apoiar no gentil rapaz, ou até mesmo recusar seu socorro porque afinal, EU SABIA NADAR, só estava com medo. Poderia nadar até a praia e depois desfrutar da companhia do meu doce salvador quando a tempestade já estivesse cessado. Mas não... eu acabei por afogá-lo, tamanha minha ânsia de estar naqueles braços para sempre.

É preciso aprender a não mais devorar a alma de quem se ama. Peço desculpas pela minha intensidade. Nasce nesse momento alguém disposto a se amar primeiro, a viver seus próprios sonhos primeiro. O que eu afogo agora é meu gigantesco egoísmo e a angústia de querer tudo ao mesmo tempo. Enterro meu senso de urgência, na maioria das vezes tão desnecessário. Pensarei nos meus desejos sim, mas como meus. Não mais sob o domínio da escuridão trazida pela saudade. 

Os sentimentos estão aqui. Ainda amo. Amo assustadora e desesperadamente (sim, é possível SIM amar em nossas condições). Mas necessito de outro movimento de translação, o meu sol precisa vir de dentro. Preciso ter brilho para irradiar luz.

É incrível como as palavras acalmam. Os soluços já passaram e as lágrimas que agora caem são de alívio. É só uma questão de ajustar o foco...

God bless you...

3 comentários:

  1. Fer... Obrigada, e faça isso sempre, escreva em primeira pessoa sem medo, não tenha medo de se expor, de expor seus sentimentos, pode apostar que tudo que escrevemos, tudo que temos a coragem de expor serve de ajuda pra alguém que lê. A escrita tem muito poder sobre as pessoas sabia? Quanto ao seu texto, olha que legal isso...

    "...Enquanto não atravessarmos
    a dor de nossa própria solidão,
    continuaremos
    a nos buscar em outras metades.
    Para viver a dois, antes, é
    necessário ser um."
    Fernando Pessoa

    Bjosss Ferrr.

    ResponderExcluir
  2. Fer achei engraçado vc escrever que tem medo de colocar primeira pessoa rs, eu sempre escrevo em primeira pessoa no meu blog, porque pra mim é sempre um desabafo sabe.
    Tenho certeza que se sentiu melhor, é muito bom colocarmos para fora todos os nossos sentimentos e ânseios.
    É como vc colocou no comentário que fez no meu blog: Mulheres lindas, sensíveis e fortes.
    Bjocas

    ResponderExcluir
  3. Amiga,a cada dia sou mais sua fã,consigo me ver em muitos de seus textos.
    Consigo te entender perfeitamente!!!
    bjos!!!!

    ResponderExcluir