sábado, 30 de outubro de 2010

Era apenas um copo d'água.

Não mais poderia continuar naquele abismo. E então... pular ou retornar?


Pular significaria o encontro com uma nova vida. Ou com o fim dela.
Retornar a faria ter certeza de continuar vivendo, porém, pela metade.

Lá em baixo havia um oásis. O mergulho poderia ser delicioso, e poderia ser fatal. Aquela imagem a chamava, a seduzia... "Vem, só eu posso dar o que tanto procuras."
E nas suas costas, um sopro: "fica, só eu posso cuidar de você como merece."

Ela queria ser cuidada. Mas ansiava por um mergulho. Pular ao encontro do desconhecido ou contentar-se com uma vida mascarada?

Ela pulou... E o oásis não estava mais lá. Era apenas um copo d'água. Senti-se dilacerada. Uma mistura de dor e decepção aliado a impotência de nada poder fazer para tê-lo de volta. Onde, na realidade, ele nunca existiu, fora uma miragem, fruto de uma mente perturbada e de olhos fatigados com uma vida de ilusões.

Ela chorou... E então se levantou, arrancou alguns cacos de virdro que haviam cortado sua pele, e seguiu. Sem olhar pra cima... Sem olhar pra trás...

Besos...

2 comentários:

  1. Eu resolvi pular... rsrsrs
    Sem mais.. lindo o texto
    bjuxx

    ResponderExcluir
  2. Ao menos ela pulou. Ela poderia passar por toda uma vida se cobrando caso não tivesse pulado.
    Se tiver que se arrepender, que seja por algo feito em busca da felicidade.

    Um tanto deprê, mas adorei, trenzim!

    Bjo.

    @ChrisRibeiro

    ResponderExcluir