segunda-feira, 4 de outubro de 2010

A doce mania de julgar...


















"Essa mãe é muito mole! Ai se esse menino fosse meu filho..."
"Ah, mas ela é mulher de malandro, gosta de apanhar."
"Percebeu que ele não pára em emprego nenhum? Não gosta do serviço pesado não..."
"Meu Deus! Grávida com essa idade!"
"Ah tá, ele se apaixonou por outra?! Pra mim isso é pura senvergonhice!"

Se identificou com algumas frases? Difícil não termos passado por alguma dessas situações, ter ouvido ou até ter dito algo do tipo.
O ato de julgar é natural do ser humano. Aliás, uma de nossas piores características na minha opinião, pois observar o outro de fora é sempre mais fácil.

Quem nunca desdenhou ou até mesmo julgou fácil a resolução de um problema, e ao passar pela mesma situação se deu conta de que não era tão simples assim?

O fato é que é muito mais fácil dar alguma "sugestão" ou até mesmo meter a língua no sofrimento alheio, do que arregaçar as mangas e ajudar a resolvê-lo. 

Às vezes a ajuda propriamente dita é só questão de ouvido... isso mesmo, às vezes tudo que uma pessoa aflita quer é ser ouvida, sem julgamentos ou opiniões.

E não dá para esquecer que o mundo dá voltas, e que no dia de amanhã a pessoa a ser apontada por algum erro pode ser você. Infelizmente, o mundo é cruel. Todos estamos sujeitos a nos enganar, cometer erros, ou simplesmente nos jogar de cabeça no quê a maioria das pessoas acharia loucura. Acho que boa parte dos julgamentos acontecem aí. Não há coragem suficiente para se viver de maneira plena, e quando a grande massa se depara com alguém corajoso (ou louco) o bastante para se atirar naquilo que acha certo, acabam julgando.

Por mais que se defenda a idéia de era moderna, de novos padrões e novas idéias, o mundo ainda não amadureceu para encarar certas ousadias. Sim, porque ainda é considerado ousadia viver de acordo com sua própria vontade. Experimenta sair do óbvio de crescer-estudar-trabalhar-casar-procriar-morrer. Será considerado aberração pela sociedade, mesmo que de uma forma sutil. Por trás daquele discurso que "o importante é ser feliz", está o anseio do mundo perfeito, com pessoas perfeitas e famílias perfeitas. E, definitivamente, a perfeição não existe! Ops... caiu da cama agora? Sorry baby, bem vindo à realidade, a verdade costuma doer mesmo...

"Deveríamos olhar demoradamente para nós próprios antes de pensarmos em julgar os outros." - Jean Molière

Besos...

2 comentários:

  1. Mas a gente julga né? é por aí mesmo, há muita hipocrisia por aí andando de vestidos, calças, bermudas, se achando gente. E viva o falso moralismo!!! Adorei o Post. Bjuxxx

    ResponderExcluir
  2. É aquele famoso ditado que diz: Quem nunca errou que atire a primeira pedra...
    Como diria Cazuza: Vida louco, vida breve, se eu não posso te levar quero que vc me leve, mas não é todo mundo que tem coragem de encarar a vida assim, e realmente nós julgamos, não tem jeito é do ser humano, errar e julgar.
    Também gostei muito do post, bjos...

    ResponderExcluir